quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Abstração.



(Tema sugerido pela amiga Kelly Lopes)
Não sei o que há comigo, meu amigo.
Tanta confusão, barulho, me causando desatenção.
Ando por esse pequeno mundo perdido.
Me desanima essa tamanha abstração.

Parecemos todos perdidos em nossos caminhos.
Percorrendo, vagando, alheios à perdição.
Me falta usar uma coroa de espinhos,
Com uma pesada cruz se arrastando pelo chão.

Estou perdendo a minha humilde crença.
Oh quimera, que me frustra a cada dia!
Esse terrível devaneio vai me levar a doença.
Estou farto dessa pobre esperança vazia.

Há um extase móbido no ar.
Sombria energia que emana da terra.
Sem fé, rogo a Deus, para arrebatar,
A causa que está gerando em mim essa guerra.

Não sei mais o que fazer, nem o que pedir.
Mas com todo vigor vou lutar como um leão.
Da vida não vou desistir, até ver você cair,
Pois desconheces minha força quando ajo com o coração.

4 comentários:

  1. Tatiana Araujo - Curti bastante! Máquina de escrever, haha

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Tatiiii!!!
    Vou dar uma rajada rsrs seguuuuura

    ResponderExcluir
  3. Ótimo. Poderia transformar estes poemas em músicas.

    ResponderExcluir