segunda-feira, 25 de agosto de 2014

No que você está pensando?

No que eu estou pensando? Estou pensando no quanto é fácil destruir, acabar; derrubar um muro é mais fácil que construí-lo; criticar é mais fácil do que apoiar, muito menos elogiar. Logo, é mais fácil nos afinizarmos com o ódio, do que ao amor. Até mesmo um gesto de carinho, é difícil. é penoso. 

O sentimento puro, belo e perfeito é raro, pois criá-lo é trabalhoso. Cansativo, desestimulante, leva tempo e é inútil.

Uma vez meu querido pai me falou isso: "Não se colhe uma linda e perfumada rosa sem deixar seu sangue no espinho." Eu hoje posso colher bons frutos dessa semente deixada por ele e digo mais, em relação ao mundo que se apresenta hoje, conforme o senso comum conforme disse acima: "Furar-se é doloroso, sangrar é pior ainda. Não! Melhor eu não criar, não colher nada. É mais simples eu extinguir". Não estou contrariando-o, mas sim analisando o que ele me ensinou, prevendo, ele, o futuro que eu teria pela frente e me alertando como um professor da vida.

Isso tudo eu já enxerguei nessa vida; tudo o que senti e tive até vontade de fazer também, pois já passei por esta experiência, que é: destruir (É fácil demais realmente), criticar, não ajudar, ficar omisso, inerte. Hoje faço valer as singelas palavras de meu pai. Hoje sei o quanto elas valem. Sangrar por algo que valha a pena, (essa analogia) é realmente o caminho. Repetindo o que ele disse: "Não se colhe uma linda e perfumada rosa sem deixar seu sangue no espinho". 

Aprendi o seguinte: Que tudo isso vale a pena, tudo isso é compensatório e é o que devemos buscar realmente. Pois o sangue é o nosso esforço, o espinho é o tropeço, faz parte das dificuldades no caminho e a rosa é o amor, a construção de tudo o que há de maravilhoso neste mundo; ou os "frutos" de um trabalho esforçado. 

Vale a pena! Vale cada gota de sangue e suor para construirmos, para elevarmo-nos, para amarmo-nos; vale cada momento, cada empenho, cada lágrima; vale a luta, a batalha... Pois no fim de tudo isso seremos recompensados com a perfeição, pureza, com a sutileza de uma rosa, em tons das cores da vida, da paz e do amor.

2 comentários:

  1. No mundo de hoje o que as pessoas têm é medo de se machucar nesses espinhos, como se a dor não fosse inevitável, como se o ferimento nunca fosse sarar. É besteira, isso tudo passa, a dor serve para nos fortalecer, para enxergarmos que nada se consegue sem luta e que o medo faz parte, mas só se formos forte o suficiente para enfrentarmos, não ficarmos estagnados na nossa vidinha tosca, que o mundo é cheio de coisas boas e ruins e que temos que experimentar de tudo para que no final possamos partir com a certeza que aproveitamos todas as oportunidades sem se arrepender. Hoje tenho muitas histórias pra contar de erros e acertos, mas é muito melhor do que se eu ficasse estagnada na dor dos espinhos. O amor é a recompensa, é sim, mas a perfeição só será vista pelos amantes que sabem amar. Beijos Kátia.

    ResponderExcluir