segunda-feira, 20 de junho de 2016

Uma noite fria...


Estou entorpecido.
Tiraste todo meu vigor.
Não há um dia que eu não tenha te esquecido,
O carinho, a paixão, que virou amor.

É como uma tempestade:
Me transforma, me invade;
Me desnorteia, me apequena.
Meu coração extasia-se, faz alarde.

Tu és os meus caminhos,
A minha direção;
O meu quente ninho,
Onde acolhes o meu coração.

Não me importa o frio, o calor,
Nem a luz ou escuridão,
Ponho meu coração em penhor,
Erradico todo meu medo e ilusão.

Nada é limite para o pobre coração de um escritor.
És tão incrível que some no infinito.
Estás além do êxtase e da dor,
Não te comparas a nada que eu tenha escrito.

Não consigo mais pensar.
Palavras se esgotaram.
Basta, parei de lhe elogiar,
Frases lúdicas que passam.

Tu és mais do que eu posso imaginar.
O pensamento não consegue alcançar.
Sou pequeno perto de ti,
Mas um dia estarei pronto pra lhe amar.

9 comentários: