quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Nas ruas...

Hoje em dia matar é tão normal.
Deve ser porque nascer é tão banal.

Filhos? Com intuito de se ter uma família decente?
Muita gente que faz filho é por acidente!

Viver é errado.
Matar é o certo.
Morreu mais um inocente: coitado!
Vive bem o assassino: esperto!

Digo daquele que se foi:
Se libertou da desgraça que é viver.
Vida similar a de um boi:
Nasce ingênuo, porém marcado para morrer.

Quando não é o bandido, é a polícia.
Seja homem ou mulher; negro ou branco.
A gente sempre se fode.
Desde o estado até a porra de um banco.

Eles gostam quando a gente faz fila.
"Legal, ver todos vocês! 
Um atrás do outro; venha um de cada vez".

É sempre assim. Pra ser preso ou pra ser roubado.
Primeiro os porcos fardados, depois o diabo engravatado.

Meu chapa, a vida é dura demais. Não é pra rir.
Miserável? Baixa renda? Ou vira bandido ou vira gari.

Você está ai de terno, falando com as putas no celular.
E eu aqui catando o lixo pro teu bem estar.

E o babaca ainda fica me encarando?
O que esse cara tá achando?

Que eu nasci para lhe servir?
Sem seus dentes, para suas putas, quero ver como ele vai sorrir.

Eu sei que vou acabar indo pra uma cela.
E o playboy vai curtir sua vida com as cadelas.

É assim sempre, nada vai mudar. 
Sem pressa e com jeitinho, assim vamos caminhar.

6 comentários: