sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

A justa, linda analogia


À noite durmo com a Lua cheia a brilhar,
Acordo com um majestoso Sol no amanhecer.
E lhe vejo de branco, com um brilho lindo no olhar,
Saibas que não preciso dormir para sonhar com você.

Nunca vi sorriso tão puro, tão belo,
Corpo delicado, palavras em tons singelos.

Brava, porém sensível e verdadeira.
É delicada, mas luta como uma guerreira.

Ao teu lado o tempo para,
O dia assim fica sublime, tão gostoso.
É perfeito o que quer que faças,
Desde teu sorriso, até ao carinho manhoso.

Se um dia eu não puder mais com você falar,
Esteja certa de que estarei olhando para uma estrela:
A ela pedirei para a ti iluminar,
E lhe encantar de todas as maneiras.

6 comentários: