quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Negra mãe


Eu vi você correndo na beira do rio.
Eu pude ver nos braços da mãe o menino.
Queria ser naquele colo o seu filho.
Oriundo da beleza e magia...

Você cantou, bailou as ondas de Iemanjá.
Você soprou meu medo para beira mar.
E iluminou caminhos, estrelas e luar.
Fez brilhar um novo Sol, amanhecer...



(Letra e melodia: Silvio Luiz)

7 comentários:

  1. Aê Silvio, temos que analisar uma possível parceria... Tu é bom hein moleque, tu é bom...

    ResponderExcluir
  2. Sempre encantando com a simplicidade, simples palavras faz tornar tuas poesias um pena nos mansos ventos que oya produz ao respirar, quando sua doçura está a reinar em seu coração.
    Sua forma de escrita e leve e de fácil entendimento.
    A cada poema escrito por você vemos facilmente que sai se teu coração.
    Resumindo só quis lhe dizer que tu és magnífico.

    ResponderExcluir
  3. Sempre encantando com a simplicidade, simples palavras faz tornar tuas poesias um pena nos mansos ventos que oya produz ao respirar, quando sua doçura está a reinar em seu coração.
    Sua forma de escrita e leve e de fácil entendimento.
    A cada poema escrito por você vemos facilmente que sai se teu coração.
    Resumindo só quis lhe dizer que tu és magnífico.

    ResponderExcluir