quinta-feira, 30 de julho de 2015

Insanamente normal




A insanidade acompanha a sociedade,
Com tamanha intensidade,
Que se tornou um habito ser louco.

É tão comum que, pensando bem,
Acho que o sou também.
Ou não? Não sei...

Seria eu, o diferente nesse mundo?
Medo, tenho eu, de ser o único correto.
Medo... Isso já me traduz a fundo:
Vivendo o personagem de um agente secreto.

Não, louco não!
Todos os demais o são.
Mas eu não!

Agora vou ser franco e direto.
Belos dias fico sem chão, sem teto.
Ora timidamente discreto.
Ora incansavelmente inquieto.

Culpo a sociedade de loucura,
Mas me excluo dessa ventura.
Hoje vejo que não faço parte dessa cultura.
Fazendo a mim mesmo essa covarde tortura.

Sim, louco sim!
Todos os demais não.
Mas eu sim.

Cada vez que penso ser são,
louco, mais me torno.
Cada vez que me acho insano,
Mais fico coberto de razão.

Se existe cura para insanidade,
Devemos reconhecê-la, torná-la viva.
Não temer de com ela cingir uma amizade,
E trazermos coisas admiráveis para nossa vida.

7 comentários:

  1. Verdade!! Todos somos insanos!!! 😉

    ResponderExcluir
  2. Você vai excluir???
    Você é louco!
    Poema perfeito.
    De médico e louco todo mundo tem um pouco!

    ResponderExcluir
  3. Você vai excluir???
    Você é louco!
    Poema perfeito.
    De médico e louco todo mundo tem um pouco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensando bem... Não sei de repente eu acho que sim. Não sei. Sei lá. Vou não hahaha

      Excluir
    2. Pensando bem... Não sei de repente eu acho que sim. Não sei. Sei lá. Vou não hahaha

      Excluir
    3. Pensando bem... Não sei de repente eu acho que sim. Não sei. Sei lá. Vou não hahaha

      Excluir