quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

O sabor do mel




Com os versos em Iorubá,
Ela surge na linda canção.
Que no meu peito faz germinar,
Notas de uma ardente paixão.

Seus tenros olhos cor de mel,
Trazem-me grandes esperanças.
Me fazem bailar no azul do céu,
Junto as mais belas lembranças.

Me faz sorrir, me faz amar,
Esse seu jeito doce não me regra.
Sua beleza faz-me me afogar,
Nas águas doces desse corpo da pele negra.

Meu coração palpita de emoção.
De ti sinto exalar a mais pura energia.
Por você eu roubaria Plutão,
Colocava-o num anel e lhe daria.

Tens o corpo quente e delicado.
A pele macia, perfumada.
Do branco, a paz; da riqueza o dourado,
Fazem de ti, minha Deusa adorada.

Seu feitiço é levar o amor.
Quero me sentir por ti amado.
Lutarei contra tudo com ardor,
E farei de tudo para ser enfeitiçado.

Quero apenas lhe dizer:
Minha baixinha amada,
Foi muito bom te conhecer.
E quero ter você em minha caminhada.





6 comentários: