terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Caminho da paixão




Cheiro de terra molhada.
Ruas e estradas.
De barro ou de terra pisada.
Direcionadas, iluminadas,
Floridas e bem perfumadas.

Ao caminhar eu sinto a vida.
Sinto-me vivo nessas meras encruzilhadas.
Da brisa ensaiada, à noite enluarada.
Oculta, na versada poesia entre o tudo e o nada.

Estradas, caminhos...
Entrei em perfeita sintonia, de noite e de dia.
Lembro-me quando você sorria.
Trazendo a mim, a alegria.
É... Estou apaixonado.

Sentados na relva ora sorrindo, ora chorando.
Vemos majestosos cavalos, aqui e acolá.
Delicadamente galopando.
Selvagens, porém domáveis.
Presenciando nossos gestos e afagos.
Estou apaixonado.

Ditados, agora no estrado,
Sob o céu estrelado, meditamos.
Você, linda ao meu lado, me acariciando.
Eu sei... Estou apaixonado.

Eu sou iluminado.
O ser criado, mimado.
Incompreendido, aturdido, indeciso.
Bondoso, pacífico e amoroso.
Coitado... Mas estou apaixonado.

Sempre perto de todos.
Estou perto de tudo.
Mais pareço uma estrela morta.
Tenho tudo, mas não tenho nada.


Sou o centro do mundo.
Solitário... Não, ainda não.
Não sou mais aquele moribundo.
Porque eu sei, estou apaixonado.

Não preciso mais que o teu calor

Tenho a ti, meu amor.
Então, tenho tudo. 
Sou a luz do Sol. Estou apaixonado.

Um comentário:

  1. Cara, parabéns! Não conhecia esse seu lado. Adorei esse!

    ResponderExcluir